Arboviroses (Dengue, chikungunya e zika ) e doação de sangue.

As arboviroses são doenças virais transmitidas ao homem por picadas de mosquitos e que tem representado um grande desafio à saúde pública. Os vírus da Dengue, Chikungunya e Zika são os principais vírus que comprometem a saúde humana, sendo transmitidas pelo mesmo vetor, o mosquito Aedes aegypti. A transmissão transfusional destes tres vírus é evento raro, no entanto, como não há testes diagnósticos disponíveis que sejam adequados para a triagem laboratorial de banco de sangue, medidas de segurança e proteção relacionadas à transfusão de sangue baseiam-se na triagem clínica e epidemiológica dos doadores de sangue, e são eficientes para identificar doadores sintomáticos ou com história clínica sugestiva da infecção Portanto, em conformidade com as notas técnicas do Ministério da Saúde, são critérios de triagem para doação de sangue, em relação às arboviroses:

Candidatos à doação de sangue que estiveram no Caribe ou em áreas de transmissão atingida pelo vírus Chikungunya deverão ser considerados inaptos para doação de sangue pelo período de 30 dias após terem saído destes países

Candidatos que foram infectados pelo vírus Chikungunya deverão ser considerados inaptos por um período de 6 meses após a recuperação clínica completa (assintomáticos)

( Nota técnica 059/2014 Ministério da Saúde)

Candidatos à doação de sangue que tenham se deslocado ou que sejam procedentes de regiões endêmicas ou com epidemias confirmadas, nacionais ou internacionais, de doenças infecciosas que não sejam prevalentes na região da doação (não endêmicas) deverão ser considerados inaptos por 30 dias;

Candidatos à doação de sangue que foram infectados pelos vírus da dengue, chikungunya ou zika , após o diagnóstico clinico e/ou laboratorial , deverão ser considerados inaptos por um período de 30 dias após a recuperação clínica completa (assintomáticos);

Candidatos à doação que apresentem diagnóstico de dengue hemorrágiva deverão ser considerados inaptos por 6 meses após a cura . Recomendamos ainda que os doadores comuniquem o serviço de hemoterapia caso apresentem qualquer sinal ou sintoma de processo infeccioso, como febre ou diarréia até 7 dias após a doação.

( Nota técnica 094/2015 Ministério da Saúde)

Febre Amarela e Doação de Sangue.

Em situações especiais como emergência em saúde pública e surtos epidêmicos, os serviços de hemoterapia em cooperação com as autoridades sanitárias, devem adequar critérios técnicos para seleção de doadores. Portanto considerando o grande número de casos de febre amarela silvestre registrados em algumas regiões do Brasil, em 08/02/2017 a ANVISA divulgou a nota técnica conjunta de nº011/2017 que estabelece os seguintes critérios para triagem clínica de doadores de sangue:

  • Indivíduos que receberam a vacina para a febre amarela, estarão inaptos para doação de sangue por 04 semanas, a partir da data da vacinação de acordo com a Portaria GM/MS nº158/216
  • Indivíduos que contraíram a febre amarela, estarão inaptos para doação de sangue por 06 meses após a recuperação clínica completa.
  • Indivíduos que tenham viajado para municípios com suspeitas ou casos confirmados de febre amarela estarão inaptos para doação de sangue por 30 dias.

Chikungunha

Dengue

Zika

Febre Amarela

Home Voltar